Últimas Unidades!!!

 

Condomínio de apartamentos em São José dos Pinhais com plantas flexíveis 1,2 e 3 dormitórios, vaga privativa e individual, salão de festas, churrasqueira, play-ground e guarita de segurança.

Excelente localização: à 200 metros do novo terminal e à 3 minutos do terminal do Boqueirão.

Agende sua visita!

Fone:3014  7177

 

time line green park

Dicas práticas para quem vai mudar de casa

Mudança! Dá um arrepio só de pensar, não dá? E não é só o trabalho físico que nos assusta na hora de mudar de casamas todo o processo, desde as providências mais burocráticas até o aspecto emocional, principalmente no que diz respeito ao desapego.

Deixar um endereço para trás  é virar uma página da nossa história para recomeçá-la em outro lugar. Mudar de casa é, de certa forma, uma mudança de vida  que  mexe com a rotina e  modifica alguns velhos  hábitos. Entre as  caixas, caixotes, móveis, malas e tantos cacarecos está a grande oportunidade de renovação.

Se você olhar por este ângulo verá que uma mudança pode ser muito positiva para toda família, e não necessariamente sinônimo de transtorno ou caos. Uma coisa é certa: é possível organizar, economizar tempo e dinheiro e ainda  facilitar o trabalho. Basta simplificar a mudança!

Seja para um apartamento novo, grande ou pequeno, um condomínio espaçoso,  seja para uma  casa reformada, não importa. Faça da sua mudança um momento transformador e curta o seu novo lar. Preparado para encaixotar suas coisas? Aqui vão algumas sugestões:

1. Acredite, somos capazes de organizar uma mudança em 60, 20 ou 10 dias, se for preciso. Planeje tudo dentro do tempo que você dispõe. Não adie, comece fazendo uma lista de todas as providências e separe por ordem de importância. Relacionar tudo o que você tem em casa, desde móveis até objetos pequenos é recomendável. Faça uma triagem e decida o que vai levar para a casa nova.

2. Esta é a hora de exercitar o desapego. Doe, faça um bazar entre amigos, venda ou troque tudo o que você não usa mais e que só ocupa espaço. Você vai descobrir que necessita menos do que você imagina para morar bem. O mesmo vale para o seu guarda roupa viu? Faça uma limpa nele!

3. Recicle, Renove! Vai  reformar a mesa de jantar , pintar o armário ou forrar o sofá para reaproveitá-lo? Faça tudo antes da mudança, e peça aos  profissionais, marceneiro, pintor e estofador para que entreguem os móveis já no novo endereço. Assim você economiza esforço e tempo na hora de carregar o caminhão.

4. Economize. Pesquisar é fundamental, busque na internet ou informe-se com pessoas conhecidas informações das transportadoras e fretes. Compare valores, custo benefício e  negocie.  Empacote sozinha e lembre-se de não lotar as caixas para não pesar demais. Pegue caixas no supermercado e junte jornais  e revistas velhas. Isso tudo você consegue de graça.

5. Medida certa! Meça todos os cômodos da nova moradia  antes de levar as cortinas e os armários e descobrir que não se encaixam no layout. É importante visualizar todos os ambientes mobiliados com antecedência. Se mandou fazer móveis, eles devem ser os primeiros a serem instalados. Assim, você pode fazer um trabalho de formiguinha e aos poucos ir levando tudo o que puder. Faz muita diferença já ter as louças guardadas na cozinha no dia da mudança.

6. O mesmo vale para as roupas. Leve o que for de pendurar direto nos cabides, o restante  vai em malas organizadas por peças e estação.

7. Agora é hora de embalar. Comece encaixotando louças e objetos de decoração com pouco uso. Esse é um trabalho para ser feito por etapas, por cômodos  é o ideal. Não há porque correr, cada dia embale alguns itens. Importante: Identificação é tudo! Escreva nas caixas com caneta hidrocor para onde ela deve ser encaminhada. EX: Sala ( jantar) Sala ( estar) Quarto casal, etc.

8. Informe a mudança de endereço para correspondências e contas de luz, água e telefone . E já  deixe agendado os serviços de transferência de Internet e TV por assinatura para a nova casa. Depois de tudo no lugar você vai querer se jogar no sofá para assistir um bom filme e relaxar. 

9. E os animais de estimação? Eles não precisam ser envolvidos na mudança, o ideal é deixá-los na casa de amigos. Caso não seja possível, existem hotéis para acomodar seu pet por uma noite .

10. Dia D! Defina as responsabilidades de cada  membro da família. Se for você sozinho, busque ajuda de amigos, ou de colaboradores como a diarista e o zelador do seu condomínio. Acerte uma forma de gratificação, que pode ser a troca do serviço por um móvel ou eletrodoméstico em bom estado de uso mas que você irá descartar na mudança.

11. Carregue documentos, objetos de valor, perfumes abertos e tudo o que for mais pessoal e delicado com você, para que não sejam extraviados.

12. As plantas também pedem um cuidado especial no transporte, melhor levar no carro. Preste atenção na readaptação delas ao novo ambiente.

13. Priorize a organização da cozinha, banheiro, dormitório e  as instalações da área de serviço. A sala pode ficar por último, mas o tanque e a máquina de lavar roupa tem que estar ok. Concorda?

14. O ideal é no mesmo dia da mudança já ter uma pessoa para fazer as pequenas instalações como quadros, prateleiras e outros itens que necessitem de furadeira.  Assim,  fica tudo pronto de uma só vez. Lembre de informar o condomínio e os vizinhos, e de antemão, já peça desculpas pelo barulho e incômodo.

Viu como é possível simplificar a mudança? Agora,  já no novo endereço, você pode buscar muitas inspirações para a sua casa nova! 

Pontos de Luz

A iluminação em um ambiente pode deixá-lo mais amplo, aconchegante, divertido ou funcional. Para que o seu apartamento fique bonito e confortável, veja algumas dúvidas sobre o tema, esclarecidas pela arquiteta Moema Wertheimer, de São Paulo, que já realizou vários projetos residenciais e corporativos de grande porte.



O que é melhor para iluminar quadros?

Se a intenção for fazer uma iluminação recortada no formato do quadro, o melhor é colocar uma luminária chamada Olho de Moscou. Para fazer a instalação é necessário saber com antecedência a dimensão do quadro.

O que é recomendável para cozinhas? Por quê?
Para cozinhas, o ideal é uma iluminação geral com lâmpada fluorescente, complementada por uma iluminação focada nas áreas de trabalho. Esta segunda deve ser executada preferencialmente com lâmpadas halógenas do tipo dicróica, que reproduz as cores com mais fidelidade, para não distorcer o tom dos alimentos.

O que fica bem nos quartos? Por quê?
Nos quartos recomendo iluminação em tons mais quentes (amarelados e até 3.000K), por ser mais aconchegante. Regular a intensidade da luz por meio da dimerização é um recurso muito agradável para este ambiente.

O que ajuda a ampliar os ambientes?
Em espaços com pé-direto baixo é preciso criar recursos de luzes indiretas fazendo uso de sancas ou rasgos de luz para aumentar a sensação de amplitude. Colunas ou luminárias de piso altas, com luzes direcionadas para cima, também dão a sensação de que o ambiente é maior.



O que deixa um espaço mais aconchegante?

A mistura de efeitos luminosos: luz geral com pontos bem focados, destacando um quadro, um objeto ou um elemento paisagístico. Mesclar arandelas e luzes embutidas no piso também pode criar efeitos bem aconchegantes. Outra sugestão é o uso de luzes indiretas por meio de abajures ou de luzes com tom amarelado.

O que é um erro fatal nessa área de iluminação?
Exagerar na quantidade de iluminação em ambientes de estar e nos quartos pode ser muito incômodo.

O que é legal no quarto das crianças?
Hoje o recurso de RGB — embutidos com lâmpada tipo LED que permitem a variação de cores — pode ser divertido em quartos de crianças.

O que funciona bem para varandas e áreas externas?
É importante verificar com o fornecedor se a luminária especificada é apropriada para área externa. Em geral, as lâmpadas do tipo PAR são mais adequadas para esse fim, assim como os LEDs.

Verão. Coisas para fazer em casa.

Verão! A palavra por si só já irradia calor e energia. Os dias ficam mais longos e o sol nos faz companhia por mais tempo.

O verão é vibrante, alegre, tem um jeito moleque de ser que nos contagia.  Uma vontade de estar ao ar livre, de vestir mais cores, de abrir as janelas da casa, arejar a mente e refrescar o corpo.  E quem não curte tomar um sorvete, andar de pés descalços, encher a casa de flores , sentar na varanda para apreciar uma noite enluarada?

Nem só na praia se faz um verão. Há muitas  maneiras de aproveitar a estação mais quente do ano no conforto do lar, e as vantagens são muitas, especialmente para quem  deseja sossego e comodidade. É como seguir na direção contrária do trânsito engarrafado em véspera de feriadão. Enquanto todos descem para o litoral, você vai para serra ou para o interior, sem estresse, a pista livre, só sua. O mesmo pode ser feito no seu condomínio,enquanto os vizinhos saem de viagem você  usufrui o melhor do verão com a família e amigos sem sair de casa. Quer experimentar? Para começar, temos aqui 14  coisas  para fazer em casa.

14  Dicas para  aproveitar o verão sem sair de casa

1. Não sair de casa não significa ficar enclausurado. Você já reparou nas coisas que estão no seu  entorno? Aproveite para curtir o seu bairro, faça um belo passeio por ele de manhã  ou no final da tarde quando o sol é mais brando, mas vá de bicicleta!

2. Nada como um fim de tarde  de verão para curtir o por do sol. Um bom bate papo com os  amigos se encaixa perfeitamente neste momento. Que tal recebê-los com  coquetéis coloridos e refrescantes?

3. Diga lá: você conhece alguém que nunca tenha feito picolé  em casa quando era criança? Aqueles na forminha de gelo… Ok, vamos dar uma sofisticada na receita. Você pode inovar também, crie a sua combinação de sabores!

4. Você pode se divertir inventando moda. Faça uma brincadeira em  família: entregue  para cada morador, adulto ou criança, um  móvel ou objeto e peça para que crie uma decoração inusitada. Mas a obra tem que ficar com a cara do verão!

5. Curta ao máximo a varanda do seu apartamento. Leve para este espaço  todas as atividades que  você gosta de fazer dentro de casa , como ler, meditar, ouvir música, artes manuais e  até trabalhar. Faça dela o seu QG de verão!

6. Passe o dia de molho! Piscina no condomínio é tudo de bom, melhor ainda quando você pode usufruir com mais privacidade. Os vizinhos foram à praia?  Ela é toda sua! Uma boa oportunidade também para ensinar as crianças a darem as primeiras braçadas na água.

7. Quanto mais verde, melhor! É possível criar um mini jardim em qualquer cantinho. Experimente reservar alguns momentos para dedicar a jardinagem, é prazeroso e você vai se surpreender com as possibilidades que o verão traz!

8. Já pra fora! Transfira a sala de jantar para o jardim e aproveite o clima de verão para reunir a família e os amigos. Os churrascos de fim de tarde são uma boa opção e você pode criar uma versão mais leve. Que tal espetinhos de vegetais?

9. Noite tropical! Utilize os espaços de lazer do condomínio  para organizar uma festa ao ar livre. Selecione os convidados  e busque alguém para tocar um violão, combina com o clima descontraído do verão.  O que acha de um repertório embalado por MPB e Bossa Nova? Capriche na decoração da mesa!

10. Tire um tempo para organizar o quarto das crianças  que depois  do natal fica abarrotado de brinquedos novos, não é mesmo? O ideal é fazer a arrumação no período da manhã  que é mais fresco. Lembre de  arejar todo o quarto e colocar  os bichinhos de pelúcia no sol.

11. A casa também pede um refresco na estação mais quente do ano. E por que não dar uma repaginada na  decoração?    Use e abuse das cores, elas trazem alegria e uma sensação de frescor aos ambientes.

12. A piscina pode ser aproveitada também a noite.  Depois que o sol se põe, a pérgola pode se transformar em um cantinho de relax, leitura e até para realizar um pequeno “luau”. Não é uma delícia curtir o verão em casa?

13. O verão tem um jeito moleque  de ser, é um convite para brincar. Quem disse que nós adultos não gostamos disso? Invista na diversão,sem medo de ser feliz! E por que não brincar de bóia na piscina? Essas são super divertidas!

14. A sós com o seu amor ,ou com alguns casais de amigos, um jantar  com um toque romântico é uma idéia para fazer em casa . Crie um clima de sonho de uma noite de verão!

Agora é só se inspirar e fazer o seu verão em casa! Com certeza você vai ter muitas outras boas idéias!

Pequenos Consertos no Lar

Muitas vezes adiamos reparos necessários em nosso imóvel por acreditarmos que serão tarefas difíceis e trabalhosas. Puro engano. Dá para solucionar alguns probleminhas de forma fácil e rápida.

Desentupindo a pia

Com o passar do tempo, por causa do acúmulo de resíduos, a água pode demorar para escoar pelo ralo, mesmo diante de tarefas simples, como lavar as mãos ou escovar os dentes — típico sinal de entupimento.

Este problema pode ser facilmente resolvido com a limpeza do sifão: basta desatarraxar o copo que fica embaixo da pia, jogar as sujeiras que estiverem dentro do lixo e limpar a peça com água corrente e sabão. Depois é só recolocar a peça!

E não esqueça de fechar o registro antes de fazer a limpeza, para prevenir vazamentos!

como-desentupir-pia-vivamais-03-470

Instalando Prateleiras

Colocar-prateleiras-na-parede-passo-a-passo-1

As prateleiras são funcionais em qualquer ambiente da casa, desde a área de serviço ao quarto e sala de estar. E além da utilidade, elas também desempenham papel decorativo, podendo ser encontras facilmente em grande variedade de modelos em hipermercados e lojas de material de construção a preços interessantes!

Então, se você escolheu comprar a prateleira já pronta e não contratar serviço de marceneiro, a instalação desta peça pode ser bastante simples. Não precisa depender que ninguém faça isso por você.

Então, vamos em frente nessa tarefa que deixará o seu lar mais organizado e bonito:

Prepare o material:

imagem-12-620x324

Régua ou trena
Lápis ou caneta
Furadeira
Brocas
Buchas (de 6 a 10 mm)
Parafusos
Fita crepe

Passo a passo:

revista-minha-casa-como-instalar-prateleiras-na-parede_01_mini

1. Use uma régua para medir a distância do chão até onde deseja pendurar a prateleira. Assim, você evita que a peça fique torta. Aproveite e marque o local dos furos com uma caneta (ou lápis).

revista-minha-casa-como-instalar-prateleiras-na-parede_02_mini

2. Depois forre o chão com jornal ou um pano úmido e cole fita crepe nos locais da parede que serão furados. A seguir deixe a broca da furadeira a um ângulo de noventa graus da parede e faça os buracos.

revista-minha-casa-como-instalar-prateleiras-na-parede_03-1_mini

5. Com delicadeza para não alargar ou danificar o furo, encaixe as buchas*.

revista-minha-casa-como-instalar-prateleiras-na-parede_04_mini

6. Prenda o suporte (que acompanha a peça) na parede, com um parafuso.

revista-minha-casa-como-instalar-prateleiras-na-parede_05_mini

7. Disponha a prateleira sobre esse suporte, ajustando-a com cuidado.

Para evitar que ela caia e machuque alguém, fixe-a também com um parafuso.

*Buchas: para cada bucha há um parafuso correspondente. Se a bucha é número 8mm, você precisará utilizar o parafuso para a bucha número 8mm. Quando estiver em lojas de construção, basta pedir uma bucha de um tamanho e seu parafuso correspondente.

Para tarefas que exijam conhecimentos mais específicos, uma boa solução é a contratação de empresas terceirizadas.

Conheça 8 livros sobre arquitetura e decoração e renove os ambientes por conta própria

Você gosta de por a mão na massa na hora de decorar a sua casa? Algumas publicações reúnem dicas muito interessantes para transformar os ambientes. São orientações simples e práticas, focadas no público não especializado, com temas relacionados a arquitetura e decoração. Confira algumas opções que selecionamos:

Cores para Interiores
A autora Simone Schleifer ensina como utilizar bem as cores, tanto em ambientes como em objetos. Mais ainda, dá uma aula de como as cores influenciam a energia e o humor das pessoas. Editora Paisagem.

livros-decoração-faça você mesmo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Exercícios de Arquitetura: Aprendendo a Pensar como um Arquiteto
O professor de arquitetura Simon Unwin propõe uma série de exercícios para leigos. Ele mostra como funciona a lógica da arquitetura, além de seu ilimitado potencial. Editora Bookman.

livros-decoração-faça você mesmo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Pequeno Livro de Decoração: Guia para Toda Hora
Elaine Hipólito escreveu um livro prático, com exemplos de problemas na decoração e como resolvê-los. Ela ensina como decorar cada cômodo da sua casa de acordo com o seu uso. Além disso, mostra quais revestimentos podem trazer mais vida às paredes. Editora Verus.

livros-decoração-faça você mesmo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Paisagismo para Pequenos Espaços

Vinicius Casagrande dá dicas de como criar um paisagismo para pequenos espaços e ensina a planejar jardins, escolher plantas, criar lagos, além de montar hortas e pomares. Editora Europa.

livros-decoração-faça você mesmo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                                                                                                                                                                                                  Organizando Espaços – Guia de Decoração e Reforma de Residências 

Orientações de como escolher as melhores peças de mobiliários, acessórios e complementos para os ambientes fazem parte do livro de Miriam Gurgel. A autora também ensina a harmonizar cores, equilibrar paredes com móveis, além dos princípios do Feng Shui. Editora Senac São Paulo.

livros-decoração-faça você mesmo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Criando Paisagens 

O paisagista Benedito Abbud aponta diversos recursos que a arquitetura de paisagem oferece para proteger espaços vivos e mutáveis. Editora Senac

livros-decoração-faça você mesmo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Pequenos Espaços

O livro é uma compilação de projetos apresentados na revista Casa & Jardim, com truques para ampliar 22 apartamentos de 25 a 70 m². A publicação reúne dicas e soluções sobre o uso racional do espaço, sem deixar de lado o conforto. Editora Globo

livros-decoração-faça você mesmo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

1000 detalhes de decoração

Cristina Paredes apresenta ideias para organizar e planejar a casa. Traz, inclusive, opções sustentáveis e ecológicas. Editora Ilusbooks.

livros-decoração-faça você mesmo
 

 

Segurança para bebês e crianças em casa

bebe1 (1)Criança pequena dentro de casa é motivo de alerta para os pais quanto à segurança. Quando elas começam a engatinhar e, posteriormente, a dar os primeiros passinhos, móveis e objetos – que aos olhos de um adulto podem parecer inofensivos acabam trazendo aflição para os pais.

Por isso, quando a família estiver aumentando, é importante rever a organização e a decoração da casa para garantir um espaço saudável de crescimento para os pequenos.

Mas por onde começar? Quais itens ficar de olho?Fizemos uma lista dos principais cuidados necessários para você prestar atenção dentro de casa.

Móveis e objetos: primeiro, procure olhar sua casa com os olhos de uma criança. Da sua altura, os riscos podem parecer mínimos, mas é só sentar no chão e ver o mundo do mesmo ângulo de uma criança que os perigos começam a aparecer. Canto pontiagudo de mesas e estantes são o primeiro sinal de alerta que você vai notar. Objetos cortantes ao alcance das mãos também irão se destacar.

Para evitar problemas, retire os itens que podem quebrar facilmente. Em relação aos móveis, nem sempre trocar é a solução mais adequada e econômica, afinal, envolve tempo e custos financeiros. Uma alternativa é forrar os cantos com uma espuma ou tecido macio, que não machuque a criança caso ocorrer um contato.

bebe2

 Redobre a atenção na cozinha: seu filho já corre pela casa ou começa a andar de um lado para o outro? Comece a ficar atento com a cozinha. Esse local apresenta perigos para os pequenos, especialmente quando você estiver cozinhando. No fogão, cabos de panelas nunca devem estar virados para fora e ao alcance das mãos. Além disso, jamais deixe que elas cheguem perto do botijão de gás. Outro cuidado está relacionado com as gavetas. Elas estão próximas o suficiente para que seus filhos possam abrí-las sozinhos?  Coloque travas de segurança nas gavetas e portas dos armários.

Janelas, sacadas e escadas: indispensáveis em apartamentos, os cercadinhos para janelas e sacadas. Eles são essenciais para evitar acidentes graves. As grades externas de proteção nem sempre são a melhor alternativa, já que a família deve levar em conta as cláusulas do condomínio, que em alguns casos impedem de modificar a aparência externa do prédio. As redes de proteção podem ser uma alternativa mais viável, desde que se preste atenção no material e prazo de validade. Uma dica é utilizar essas es nas escadas como uma proteção lateral. Também nas escadas, grades proteção são muito importantes.

bebe3

 Tomadas e fios: procure manter as tomadas vedadas.Por estarem instaladas, normalmente, na parte inferior, elas estão na altura dos olhos dos pequenos. Eles podem querer tocar e mexer com os dedinhos. E para manter a segurança de toda a família quando o assunto é eletricidade, procure não ligar vários aparelhos numa mesma extensão. Além disso, os que não estiverem em uso podem ficar desligados e fora da tomada. Lembre-se que mesmo em stand by eles consomem energia!

Área de Serviço e Banheiro: esses cômodos escondem perigos para os pequenos, especialmente sobre intoxicação. Nunca deixe produtos de limpeza ao alcance das crianças. As embalagens coloridas podem atrair a atenção deles. Remédios e cosméticos devem ficar em armários altos, longe do alcance. Na hora do banho, os pais, ou um adulto, deve estar por perto. Crianças até 6 anos de idade precisam de supervisão seja embaixo do chuveiro ou ainda na banheira.

Ficar de olho no que os pequenos estão fazendo é fundamental, assim é possível cuidar e garantir mais segurança.Uma brincadeira despreocupada é o lado saudável da infância!

 

Fonte: Corpo de Bombeiros ES & Guia do Bebê

Dicas para deixar sua casa mais econômica

Pequenas mudanças dentro de casa contribuem para diminuir as despesas no final do mês. A conta de luz pode ter seu valor reduzido, o consumo de água pode ser controlado e ainda estaremos ajudando o meio ambiente.

Selecionamos algumas dicas que podem ser colocadas em prática por sua família e vizinhos. Veja a seguir:

Economia em todos os cômodos

As mudanças para gerar mais economia no seu lar,vão desde as que incluem hábitos diários até algumas estruturais. Você deve avaliar o melhor custo-benefício no momento para colocá-las em prática.

No banheiro: quem esquece de fechar a torneira ao escovar os dentes ou ensaboar as mãos, por exemplo, tem um bom aliado contra o desperdício: uma opção é trocar as torneiras tradicionais pelas opções com temporizador. O custo na troca pode ser um pouco elevado, mas a longo prazo faz muita diferença.

Outra opção são os arejadores. Além da torneira da pia do banheiro, eles podem ser usados também no chuveiro. Os arejadores podem representar uma economia de 10% a 30% de água. Sua função é de misturar ar à água. Dessa forma, a sensação é de mais volume do fluxo de água.

Um dado preocupante foi apontado no relatório do Instituto Socioambiental (ISA): diariamente, somando o desperdício diário de todas as capitais brasileiras, chegamos a um número aproximado de 2,5 milhões de litros de água. Esse número é tão expressivo que pode promover o abastecimento de 38 milhões de pessoas. O maior responsável por esse desperdício está no consumo doméstico.

Descarga do banheiro: já imaginou quantos litros de água são utilizados toda vez que você puxa a descarga? O sistema hidráulico é responsável pelo menor ou maior consumo. As válvulas de descarga de duplo-fluxo – opções que contam com um botão para líquidos e outro para sólidos, gastam até 6 litros de água por descarga. Bem diferente das válvulas normais, que podem gastar 3 vezes mais. Isso acontece pois a primeira opção demanda quantidade diferente para cada necessidade.

Eletrônicos e eletrodomésticos: pode não parecer, mas aquela luzinha acesa que fica na TV, DVD e demais eletrônicos no modo stand by (ligado, mas em modo de espera) estão gastando energia. Estima-se que aparelhos nesse modo são responsáveis por 20% do total de gastos. Por isso, sempre que eles não estiverem em uso e ficarem inativos por muito tempo, a solução é tirá-los da tomada. Faça o teste: coloque essa dica em prática diariamente e veja o resultado em seu consumo após um mês.

Ar-condicionado: Com o verão, esse aparelho será utilizado praticamente todos os dias. Mesmo com todo o conforto e frescor que ele representa nos dias de calor intenso, não podemos negar que eles contribuem para aumentar os gastos com a conta de luz. Mas alguns cuidados podem fazer com que o valor no final do mês não seja tão alto.

– Evite a entrada de ar externo. Quando isso ocorre, o aparelho será forçado a produzir mais energia além de ser um desperdício da atividade;

– Por mais que o calor seja intenso, o frio máximo não será a solução mais reconfortante, especialmente para a sua saúde. Saiba equilibrar;

– O calor de outros eletrônicos (computadores, por exemplo) demandam mais do ar-condicionado. A incidência direta de luz solar também. Evite deixá-lo instalado próximo a essas fontes.

Dica: ao comprar os eletrônicos verifique o indicador de economia de energia. O recomendável é ter o selo Procel, do Inmetro, indicativo do melhor custo-benefício.

Na cozinha: se você for viajar e ficar muito tempo longe de casa, a dica é deixar sua geladeira desligada.

Controlando os gastos de energia: chuveiro, torradeira e secador de cabelo são os campeões nos gastos de energia. Mas você pode listar todos os produtos utilizados e ver como está seu consumo e o que está pesando mais no seu bolso. Na simulação de consumo da copel (www.copel.com/hpcopel/simulador) você consegue verificar seu custo de acordo com o uso de cada item.

 

Lâmpadas nos cômodos e corredores: você já deve ter ouvido falar que as lâmpadas fluorescente economizam mais energia do que as incandescentes, certo? Mas muita gente, mesmo com essa informação, acaba desistindo na hora da compra por causa do valor de cada uma: as opções fluorescente são mais caras. Porém, é preciso fazer um comparativo a longo prazo. Uma lâmpada fluorescente de 15W pode substituir uma incandescente de 60W, por exemplo, e representar uma economia de 75% de energia elétrica. Isso ocorre pois a incandescente gasta mais eletricidade para produzir a mesma quantidade de luz.

Já no condomínio, a melhor opção são as lâmpadas com acendimento automático. O sensor possibilita que o consumo ocorra apenas quando há alguém no corredor ou áreas comuns, evitando que alguma luz seja esquecida acesa ou que o consumo ocorra por mais tempo do que o necessário.

Com pequenas mudanças de comportamento e atitudes de todos as pessoas da família e com a colaboração dos vizinhos, sua casa e condomínio podem, sim, chegar a números menores nas contas.

Fontes:

Revista Superinteressante
Terra
Folha

Exclusividade imobiliária

exclusividadeDisponibilizar o imóvel para ser negociado em apenas uma imobiliária pode parecer desvantagem num primeiro olhar. Porém, a exclusividade na venda de um imóvel é algo que traz benefícios tanto para o proprietário, quanto para o futuro comprador durante as negociações.

Com a exclusividade na captação de um imóvel, a imobiliária tem certeza de que a venda do imóvel será feita por ela, e não por outra empresa. Assim, toda a equipe de consultores estará empenhada em fechar o negócio. Além disso, o interessado no imóvel não corre o risco de ter outra pessoa visitando o imóvel no mesmo horário que ela, tirando a privacidade.

Benefícios para o proprietário: 

* Garantia de dedicação total dos corretores da imobiliária para fechar o negócio

* O imóvel será anunciado amplamente para o mercado

* Apenas um corretor ficará em contato com o proprietário, evitando várias ligações e e-mails de diversas pessoas ao longo do dia

* As visitas ao imóvel serão agendadas e comunicadas ao proprietário com antecedência.

Benefícios para o futuro comprador: 

*Não haverá outros interessados no imóvel ,visitando o local no mesmo horário.

Regras de convívio para crianças em condomínio

 

Morar em condomínio pode ser seguro e divertido para as crianças, desde que sejam orientadas pelos pais.
A infância e a adolescência são épocas inesquecíveis na vida de qualquer pessoa, uma fase de brincadeiras, risos, correria, peraltices. A garotada é realmente especial, traz alegria aos ambientes e merece cuidados diferenciados.
Os condomínios residenciais, normalmente possuem área verde, parquinho, salão de festas, portaria o que agrada aos pais e as crianças. Porém, é preciso tomar certos cuidados para que isso não acabe gerando conflito com outro moradores.
 O respeito ao próximo e às normas é um fator importante na educação de qualquer criança e fundamental no dia-a-dia de um condomínio. Como nem sempre há como prever as atitudes das crianças, alguns conflitos precisam ser administrados com sabedoria e entendimento.
Alguns condomínios lidam com a situação elegendo um ‘mini-síndico’, uma criança que ajuda o síndico no diálogo com os demais, ajudando buscar acordo e entendimento. A escolha de um pequeno líder pode ser divertida para as crianças, que criam uma eleição com campanha e votos.
Porém, sempre é bom lembrar que os pais precisam vigiar as atividades de seus filhos, criando limites, como por exemplo, o horário de brincadeiras dentro do apartamento. Uma solução pode ser buscar elementos decorativos que reduzam o barulho e o atrito, como tapetes emborrachados, entre outros. Já nas áreas comuns dos condomínios, é necessário seguir a regra interna de horários para brincadeiras, que normalmente acontece entre 9h e 20h.
Mas cada condomínio deve buscar alternativas para entreter as crianças, como ampliar e equipar a área de lazer. Usar o salão de festa durante a semana para desenvolver atividades diversas, jogos ou oficinas lideradas pelos próprios moradores jovens ou adolescentes, como reciclagem ou arte, entre outras. Quando há espaços sobrando, uma dica pode ser criar uma brinquedoteca e/ou uma biblioteca.
Os pequenos devem estar sempre acompanhados de um adulto nas brincadeiras do playground e independente da idade, na área da piscina as crianças não devem estar desacompanhadas.
Síndicos e funcionários podem solicitar educadamente para que as crianças, que estão brincando sozinhas, façam menos barulhos e se comportem. Porém se não obedecerem, o melhor a fazer é chamar um adulto da família ou os pais.
Outro cuidado a ser tomado com as crianças é não permitir que elas dispersem a atenção dos funcionários do condomínio tanto na guarita ou portaria – local que exige atenção do porteiro.
Todo cuidado é pouco na hora de orientar os filhos nas ações dentro do condomínio, pois são os pais os responsáveis pelas crianças e aqueles que irão responder pelas ações que transgredirem as regras internas do condomínio, sujeitos às penalidades.